Sunday, December 18, 2011

GATES OF HELL TRILOGY


A trilogia nao intencional do diretor italiano Lucio Fulci que começa com City of Living Dead marca um dos pontos altos do cinema de horror italiano pós giallo. A proposta metafísica confronta o suicídio de um padre, que ocasiona a abertura de um dos sete portais do inferno, aos habitantes de uma cidade atacados por mortos recém saídos de suas sepulturas. Inserido no infame codex inglês conhecido como Video Nasty, o filme de Fulci foi proibido em diversos países ou lançado em ediçoes mutiladas em razao da sua grotesca mistura de extremely gore, violência gráfica e hereges toques lovecraftianos. Sao visiveis as limitaçoes da produçao, mas o horror impossível de Lucio Fulci - o quase horror absoluto de referências artaudianas - tornou-se objeto de culto, fechando o ciclo do zumbi spaghetti, dissociando-se quase totalmente do marco visual criado por George Romero. No inventivo e quase onírico ciclo splatter criado por Fulci há a suspensao da narrativa formal, substituída por imagens sínteses do horror físico, no qual o beneficiado e atacado - em sentido figurado ou nao - é justamente o olho humano.

The Beyond é o mais autoral do tríptico. Na narrativa quase suspensa de Beyond o linchamento de um pintor tido como bruxo por citadinos de uma cidade do sul dos EUA provoca a abertura para o mundo do além físico trazendo a noçao apocalíptica do fim, da destruiçao do tecido social e do corpo humano. Essa noçao tomista e mórbida de Lucio Fulci permeia o filme do início ao fim metafísico, deixando, além do sangue e vísceras, também a dúvida: seria o além o que vemos ao final da película? A moça cega seria um fantasma? Em suma, o que se depreende desta estranha historia é a noçao da ausência completa de sentido para a existência humana, valores transcedentais ou patriarcais (o jornalista e o psiquiátra in City of Living Dead ou o acadêmico in House by the Cemetery, nao sao menos patéticos que o  médico em Beyond, colocando em dúvida a autoridade dos agentes patriarcais); nao há regras mas sim um sentido perverso de que a ausência de D'us, seu silêncio, ou o domínio do aleatório sao premissas equivalentes. A iminencia da aniquilaçao substitui a crença no Absoluto. Novamente os olhos sao os alvos preferidos da violência perpetrada pelo diretor, quer mediante a perverçao gore, quer pelo simbolismo da proibiçao do conhecimento dos nichos sobrenaturais liberados pela propria violência humana.


House By the Cemetery é o mais fraco dos três, mantendo o clima sombrio, mas bem conhecido, de história de horror familiar. Jovem mulher novaiorquina muda-se com a família para antiga casa aparentemente assombrada. Pouca história e pouco gore. Imagem síntese: a desconfortável sequencia do olhar de uma criança pela janela da casa impressa numa velha foto preto e branco.


A ediçao inglesa da Arrow é a única no mercado que disponibiliza os três filmes em DVDs.

Labels: , , , , , , , , ,

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home